Design-sem-nome-2021-06-11T005818.513-990x557

STF: Não há provas para comprovar as acusações da ação inconstitucional dos ‘atos antidemocráticos’, analisa Fabiana Barroso

Share on telegram
Telegram
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

A advogada Fabiana Barroso, durante o Boletim da Noite de quinta-feira (10), analisou as acusações do inquérito inconstitucional dos “atos antidemocráticos”. Segundo a advogada, a ação inconstitucional não possui provas suficientes para comprovar as acusações.

“Nós vemos nas páginas do inquérito os agentes da Polícia Federal fazendo muito esforço para traçar uma narrativa, ‘supostamente tal crime’, isso é normal em um inquérito, os agentes estão fazendo o trabalho deles. Mas a parte dos fogos de artifício, tem fotos de fogos no inquérito, mas que poderiam ter sido feitas em qualquer dia de um campeonato brasileiro de futebol, mas não tem nada disso provando que atacaram o prédio do STF com os fogos de artifício”, apontou a advogada.

A advogada ressaltou o posicionamento da mídia de esquerda diante da ação inconstitucional. “Um dos lugares onde se pode ver as mais de mil páginas que estão disponíveis neste inquérito, foi na mídia Estadão. Eu me preocupo com isso, porque ali vazaram-se dados, eles não tiveram o cuidado de cobrir dados, então, tem muita coisa exposta que não deveria”, apontou.

Fabiana Barroso, por fim, lembrou que casos como o do delegado de polícia Paulo Bilynskyj, que ganhou uma ação contra o Facebook, obrigando a Big Tech a indenizá-lo após censura no Instagram, casos como esses são importantes iniciativas.

“O que me deixa com um pouco de esperança é o que o Paulo Bilynskyj nos trouxe, que eu acabo vendo isso, que em alguns casos na primeira instância, quando estamos brigando com essas grandes plataformas estamos obtendo sucesso. Quando o juiz entende que não é uma pagininha, é na verdade a vida de alguém, que existem pessoas trabalhando, folha de pagamento, que é um novo modelo de negócios, as coisas acabam mudando. Mas é muita briga”, concluiu a advogada.

Matéria de Brehnno GalganeTerça Livre

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outras Notícias...